InícioSociedadeGardunha: uma serra à espera que se faça mais e melhor

Gardunha: uma serra à espera que se faça mais e melhor

Poucas ideias novas no debate promovido pelos Caminheiros da Gardunha em parceria com o Jornal do Fundão e que sentou à mesma mesa, na noite de 13 de setembro, os quatro candidatos à presidência da Câmara do Fundão. Anfiteatro do Agrupamento de Escolas do Fundão cheio para ouvir Aires Patrício, do CDS, Catarina Gavinhos, da CDU, Joana Bento, do PS, e Paulo Fernandes, do PSD.

Durante mais de duas horas, os cabeças de lista disseram o que pensam sobre o passado, o presente e o futuro da Serra da Gardunha. E não raras vezes, estiveram de acordo. Reconhecem que a Gardunha é um ativo ambiental que merece ser mais protegido e valorizado, sendo preciso romper com velhos práticas para que não continue a repetir-se a triste história dos fogos florestais.

Foi precisamente esse o ponto de partida para o debate que foi moderado pelo diretor do Jornal do Fundão, Nuno Francisco, e pelo presidente da direção dos Caminheiros da Gardunha, David Caetano, que começaram por questionar os candidatos sobre o que deve ser feito para evitar que daqui e uma dúzia de anos se esteja a discutir precisamente o mesmo, como se a devastação da floresta fosse uma fatalidade cíclica.

Recorde-se que a Gardunha voltou este ano a ser pasto de um violento incêndio que provocou cerca de 14 milhões de prejuízos, 7 mil hectares de área ardida, parte dos quais em área protegida. Uma tragédia ambiental e económica que talvez pudesse ter sido evitada, se todos cumprissem as suas obrigações.
O objetivo do debate era dar a conhecer as ideias dos candidatos para a Serra da Gardunha.

Leia toda a reportagem sobre o debate na edição impressa do JF.

Lúcia Reis