InícioSociedadeEmpresários “torcem nariz” aos animais nos restaurantes

Empresários “torcem nariz” aos animais nos restaurantes

A partir de maio, os “animais de companhia” vão poder acompanhar os donos nos restaurantes e cafés mas os proprietários dos espaços públicos torcem o nariz face à nova lei, aprovada recentemente – 9 de fevereiro –  na Assembleia da República, a partir de projetos do Partido Ecologista “Os Verdes” e Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e Bloco Esquerda.

Nos termos da lei, que entra em vigor 90 dias depois de publicada, é permitida a entrada de animais em estabelecimentos, “em espaços fechados”, que os aceitem, mas é necessário obedecer às regras descritas na lei. Por um lado, pode ser fixada uma lotação máxima de animais pelo restaurante, de modo a “salvaguardar o seu normal funcionamento”. Os animais terão de estar presos, “com trela curta”, e “não podem circular livremente”, estando vedada a sua presença na zona de serviços ou onde existam alimentos. A decisão de entrada competirá aos proprietários dos estabelecimentos e os que aderirem terão afixar um dístico à porta.

O JF foi ouvir empresários do setor.

Veja a reportagem na nossa edição impressa.

Romão Vieira, Filipe Sanches e Célia Domingues