InícioSaúde35 horas: o que está a acontecer nos hospitais?

35 horas: o que está a acontecer nos hospitais?

“Não haverá qualquer encerramento ou perda de serviços especializados”, garantiu, sexta-feira, em comunicado, o Centro Hospitalar Cova da Beira (CHCB) seis dias depois de ter entrado em vigor a redução das 40 para 35 horas semanais. Poucas horas antes, o covilhanense Adolfo Mesquita Nunes considerara “particularmente grave” a situação nas unidades de saúde do interior, precisamente por causa dos efeitos adversos da redução do horário laboral e consequente falta de profissionais de saúde.

A nível nacional, há serviços à beira da rutura, profissionais sobrecarregados e cuidados de adiados.
Na Beira Interior, a situação mais grave verificou-se na Unidade Local de Saúde da Guarda, que foi obrigada a fechar a unidade de cuidados intermédios de Cardiologia  e a reduzir camas em Cirugia, Ortopedia, Pneumologia e Pediatria.

“São muitos os serviços e centros hospitalares que começam a sentir os efeitos”, resumia no final da semana passada  a Secção Regional Centro da Ordem dos Enfermeiros, sublinhando o caso da Guarda, como exemplo do impacto negativo da mudança e da  “inoperância demonstrada  pelo Ministério da Saúde”, face à necessidade de contratar mais enfermeiros.

Veja como está a situação na região, na edição impressa do JF.

Lúcia Reis