InícioGuardaPedro Dias acusado de “disparar na cara” das vítimas

Pedro Dias acusado de “disparar na cara” das vítimas

(c) Miguel Pereira da Silva/Global Imagens

Beatriz da Silva, médica forense que fez a autópsia de Liliane e Luís Pinto e a avaliação do militar da GNR António Ferreira, que foi atingido a tiro, mas que sobreviveu, foi hoje ouvida, na Guarda, em mais uma sessão do julgamento de Pedro Dias, o acusado de três crimes de homicídio qualificado em outubro de 2016.

Da autópsia de Luís Pinto, Beatriz da Silva concluiu que ele morreu em segundos. O mesmo se terá passado com o militar Carlos Caetano, apesar de ter sido uma colega sua que fez a autópsia.

“Foi muito rápido, tanto num caso, como noutro”, referiu.

No que respeita a Liliane Pinto, disse não ter dúvidas de que foram as lesões sofridas no dia 11 de outubro de 2016 que acabaram por levar à sua morte no dia 12 de abril deste ano.

Beatriz da Silva considerou que, primeiro, Liliane Pinto foi atingida na região cervical, tendo a bala atravessando de um lado ao outro, e, depois, de forma “tangencial”, na parte superior do crânio, o que lhe provocou lesões graves.

A advogada de defesa de Pedro Dias, Mónica Quintela, questionou a perita se a bala que matou Luís Pinto poderia também ter atingido a sua mulher. Beatriz da Silva disse que é uma hipótese, mas desde que ambos estivessem nas “posições perfeitas” para a trajetória do projétil.

O advogado que representa a família de Carlos Caetano e António Ferreira, Pedro Proença, considerou ter ficado provado que há “um padrão, uma assinatura”, nos ferimentos de todas as vítimas.

“Quem o fez, fê-lo intencionalmente para atingir na cara e isto revela que foi a mesma pessoa que atingiu o guarda Caetano, o guarda Ferreira e o Luís”, afirmou aos jornalistas.

Já Mónica Quintela tem uma opinião diferente, considerando que há “lesões todas elas diferentes, com incidências diferentes e produzidas de formas diferentes”.

“A Medicina Legal não consegue, nem pode, dizer como é que foi e como é que é a dinâmica de determinado crime”, frisou.