InícioEconomiaApicultores preocupados com morte de abelhas e falta de alimento

Apicultores preocupados com morte de abelhas e falta de alimento

A Associação de Apicultores do Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE) está preocupada com os prejuízos dos incêndios dos dias 15 e 16 de outubro, admitindo que os produtores da região vivem “uma situação complicada”.

Segundo José Lages, presidente da Assembleia Geral da Associação de Apicultores do PNSE, que tem sede em Gouveia, no distrito da Guarda, os fogos causaram “muitos prejuízos” nos apiários instalados na região.

“Há apicultores a quem arderam mais de 100 [colmeias]. Houve muitos prejuízos. A mim não me arderam [colmeias], mas arderam os pastos [onde as abelhas se alimentam]”. Em Seia e Gouveia, em toda a zona do PNSE, houve prejuízos enormíssimos”, disse hoje o responsável à agência Lusa.

Segundo José Lages, uns apicultores “ficaram sem as abelhas” e outros “sem as flores” para as alimentar, desconhecendo “como é que eles vão conseguir aguentá-las durante o inverno e parte da primavera”.

O dirigente associativo diz que a situação vivida na zona do PNSE “é preocupante” e, se não existirem apoios, muitos dos apicultores atingidos pelos incêndios “acabam com as abelhas”.

Se os produtores não tiverem ajudas para comprar outras abelhas que substituam as que morreram, “ficam sem nada”, e, “se não tiverem algum incentivo para alimento, para a fase em que agora não há alimento, também é complicado”, vaticina José Lages.

A Associação de Apicultores do PNSE tem atualmente inscritos e a pagar quotas “pouco mais de 30” associados, mas pelas contas do presidente da Assembleia Geral existem “muitos mais apicultores, mas não estão inscritos” na coletividade.

O Crédito Agrícola (CA), através do Núcleo Motard do Centro de Cultura e Desporto, anunciou hoje que, no sábado, vai entregar meia tonelada de alimento para abelhas a vários apicultores do concelho de Seia, uma ajuda que é valorizada por José Lages.

“É benéfica. É bem-vinda. É excelente. Venha ela”, disse o responsável à Lusa.

A ação solidária do CA tem como objetivo ajudar a minimizar os estragos causados pelos incêndios naquela zona da Serra da Estrela, no distrito da Guarda.

“No caso dos apicultores, perderam centenas de colmeias e enfrentam nesta altura grandes dificuldades para alimentar as abelhas que sobreviveram aos fogos. Uma situação que afeta o setor e coloca em causa o rendimento de inúmeras famílias que vivem da produção de mel”, refere a CA em comunicado hoje divulgado.

A iniciativa solidária de sábado vai contar com a participação do pluricampeão nacional de motociclismo, Mário Patrão, natural do concelho de Seia, e tem o apoio do CA da Serra da Estrela e do Município de Seia.

O Grupo CA refere que, desta forma, solidariza-se “com todos os apicultores” daquela área do país “contribuindo, assim, para a sustentabilidade da economia” da região da Serra da Estrela.