InícioCovilhãBE alerta para problemas no Agrupamento “A Lã e a Neve”

BE alerta para problemas no Agrupamento “A Lã e a Neve”

O Bloco de Esquerda (BE) denunciou hoje problemas no Agrupamento de Escolas a Lã e a Neve, na Covilhã, designadamente de despesas de água na Escola de S. Domingos, que representam cerca de 30% do financiamento daquele estabelecimento.

“A Escola Básica de S. Domingos está com graves problemas nas canalizações e o Agrupamento não consegue fazer face às despesas de reparação. A fatura da água também não é a mais adequada, uma vez que a Câmara Municipal da Covilhã aplica as tarifas de água altíssimas aos estabelecimentos de ensino”, é referido no comunicado do BE da Covilhã.

Questionando os benefícios da municipalização da educação, o BE acusa a Câmara da Covilhã de gerir “o que é público à luz da maximização dos ganhos monetários, pelo menos no que à água diz respeito, numa ótica que o BE considera danosa tanto para as escolas como para os gastos públicos”.

Depois de lembrarem que o Agrupamento de Escolas a Lã e a Neve conta atualmente com 583 alunos, divididos por Jardim de Infância, Escola básica do 1.º Ciclo e Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos de S. Domingos, os bloquistas também apontam a situação de precariedade laboral de alguns funcionários, destacando o exemplo de uma funcionária que se encontra há 18 anos em situação precária, bem como “o problema crónico” da insuficiência de assistentes operacionais.

“O Núcleo Concelhio da Covilhã sempre se manifestou contra a existência de trabalhadores precários e consideramos que situações deste tipo são o expoente máximo do desrespeito pelos trabalhadores, impedindo-os de perspetivar um futuro uma vez que não sabem se para o próximo ano letivo terão trabalho”, é referido na nota.

Na lista de preocupações, o BE também refere a questão do parque escolar e da conservação das escolas e espaços, sublinhando que, muitas vezes, têm sido as associações de pais a assumir um papel que caberá àquela autarquia.

“A este respeito, o Núcleo Concelhio da Covilhã do Bloco de Esquerda defende que o ensino deve ser uma das prioridades de investimento e não continuar a ser relegado para planos secundários ou esperar que os problemas emergentes sejam resolvidos pelos pais dos alunos”, conclui.