InícioOpinião
Artigos

Nuno Francisco --- Há muitas razões para se sair da nossa aldeia, vila ou cidade. Mas se perguntarmos à maior parte dos naturais da Beira Interior que emigraram, a razão que prevalece é esta: a falta de condições económicas e de perspetivas de futuro. Em suma: uma

Manuel da Silva Ramos --- No dia 23 de maio, Mário Fernandes apresentou na Cinemateca Portuguesa o seu último filme “ The Last Day of Leonard Cohen in Hydra”. Foi uma sessão peculiar com a sala repleta de amigos e admiradores do cineasta. Mas o que realmente

Nuno Francisco --- Já muito se escreveu sobre potencialidades latentes da região que estão subaproveitadas, tornando-se um dos grandes entraves ao nosso  desenvolvimento. É uma verdade absoluta e incontornável que alguns dos chamados fatores endógenos têm um elevado potencial de notoriedade e de retorno quando servidos por

David Caetano --- A paisagem que nos rodeia apresenta hoje uma realidade muito diferente daquela que seria possível observar há vários séculos atrás. Se por artes mágicas pudéssemos por exemplo voltar à Idade Média, e a não ser que nos conseguíssemos abstrair de tudo o resto para

Miguel Nascimento --- Apesar da nova esperança, das narrativas e das declarações de amor, das propostas para se fazer isto e aquilo, a verdade é que caminho do Interior vai sendo o mesmo de sempre; ou seja, vai definhando lentamente! Muita coisa mudou, isso é certo. Há

Nuno Francisco --- Há lugares que nos transportam para um sublime bem-estar em momentos que dispensam verter demasiadas letras sobre eles. É preciso vivê-los dentro daquela simplicidade tão difícil de traduzir. O pôr do sol, o ecoar das águas na ribeira, o silêncio que trespassa os campos,

Maria Antonieta Garcia --- Chegam muitos doentes ao consultório médico. Não há cadeiras suficientes. Umas boas almas oferecem o seu lugar, quando a velhice se revela para além das rugas, no passo lento e no encurvar das costas. Às vezes, as pessoas parecem árvores: partem pelo meio.

Nuno Francisco --- No caminho do tempo que nos consome, muito do trajeto comum que fazemos é erguido nas escolhas coletivas que fazemos. Não vale a pena insistir em armadilhas retóricas que sustentam uma práxis a que poucos de nós tiveram  o privilégio de assistir. A união

/