InícioSociedadeJovens “cientistas” valorizam região

Jovens “cientistas” valorizam região

E se a flor da cerejeira (de produção biológica) passasse também a ser aproveitada?

A ideia está a ser trabalhada por professores e alunos do Agrupamento de Escolas do Fundão, com  o apoio da Fundação Ilídio Pinho, no âmbito da edição deste ano do Prémio Ciência na Escola – Ciência e Tecnologia ao serviço de um mundo melhor.

O projeto intitula-se “Sabor a Flores” e propõe-se desenvolver processos de conservação de várias flores comestíveis da região (espontâneas ou cultivadas), bem como a possibilidade de passarem a  ter novas utilizações.

Sob a coordenação da educadora Celeste Fernandes, cinco alunos com necessidades educativas especiais têm estado a trabalhar este  projeto que foi um dos cinco selecionados a nível nacional na edição deste ano daquele prémio anual.

O Agrupamento de Escolas do Fundão foi o agrupamento da Região Centro com mais projetos apoiados, recebendo da Fundação 2.300 euros para os levar a bom porto.

São projetos que se propõem  aproveitar recursos naturais da região, através do recurso à ciência e à tecnologia.

Todo a reportagem em edição impressa do JF.

Lúcia Reis