InícioUncategorizedEstatuto editorial do Jornal do Fundão

Estatuto editorial do Jornal do Fundão

 

1 – Quando, em 1946, nasceu, o “Jornal do Fundão” traçou o seguinte rumo:

“A afirmação de presença que o nosso jornal traduz é, de si, vasto programa que dispensa mais largas explicações.

Na verdade procurar, nesta hora de divisões abertas e ódios recalcados, o trilho difícil que leva ao cumprimento dos deveres simples, ao amor da Terra Mãe, à solidariedade que devemos ao Homem nosso irmão, é tarefa não isenta de dificuldades e canseiras. Mesmo assim, a nós hão de juntar-se – confiadamente esperamos – os que, de mãos limpas e coração puro, queiram viver a bela aventura deste combate.

Sem ódios nem ambições, com a clara noção do que podemos querer, procuraremos servir o Concelho, firmes na ideia de que servi-lo não é apenas conseguir a satisfação de realizações materiais mas sim a valorização espiritual, física e material dos seus habitantes. No nosso posto estaremos, ao lado dos que trabalham e dos que sofrem, em fraterna compreensão que não é de hoje mas de sempre”.

2 – Este rumo de ontem é o de hoje e será o de sempre e norteará o nosso estatuto editorial, cujo enunciado é o seguinte:

a) O “Jornal do Fundão” é uma publicação regional de natureza informativa independente de qualquer poder;

b) O “Jornal do Fundão” tem por escopo principal assegurar aos seus leitores e ao povo da Beira Interior o direito a uma informação objectiva, rigorosa e isenta;

c) O “Jornal do Fundão” garante aos seus jornalistas o pleno respeito pelas normas constitucionais, pela deontologia da Imprensa e pela ética profissional;

d) O “Jornal do Fundão” assegura a distinção entre os factos noticiados, hierarquizados de forma isenta segundo critérios jornalísticos, e os comentários;

e) O “Jornal do Fundão” pode emitir opinião própria através de editoriais assinados pelo director ou de textos elaborados pelos seus redactores, sempre de acordo com a linha editorial, e garante o pluralismo de opinião;

f) O “Jornal do Fundão” dedica particular atenção, na linha que lhe é tradicional, ao noticiário e à divulgação cultural da Beira Interior.