InícioSociedadeTurismo sustentável une Malcata e serra da Gata

Turismo sustentável une Malcata e serra da Gata

(c) Aikatherine

A Carta Europeia de Turismo Sustentável (CETS) do território da Serra da Malcata, denominada “Terras do Lince” e dinamizada pelos municípios de Almeida, Penamacor e Sabugal, pode vir a ser alargada a território espanhol.

A Federação Europeia de Parques Nacionais e Naturais (Europarc) atribuiu em dezembro de 2016 a CETS “Terras do Lince” à candidatura do território da Serra da Malcata, que abrange dois municípios do distrito da Guarda (Almeida e Sabugal) e um de Castelo Branco (Penamacor), mas a entidade responsável pela gestão e coordenação do projeto admite ampliar a área de abrangência a Espanha.

“Queremos que durante este período de cinco anos, que é o período que dura a certificação, que nos seja possível alargar [a área de influência] à vizinha Espanha, aproveitando esta raia, esta fronteira que nos une, com as ‘mancomunidades’ (associações criadas entre vários municípios espanhóis) que estão contínuas ao nosso território”, disse hoje, à agência Lusa, Dulcineia Catarina Moura, coordenadora da Territórios do Côa – Associação de Desenvolvimento Regional, com sede em Almeida.

Segundo a responsável pela associação que faz a gestão da CETS “Terras do Lince”, nos próximos cinco anos haverá “muito trabalho” a fazer com este objetivo e para que o turismo sustentável ajude a desenvolver o território transfronteiriço.

Dulcineia Catarina Moura referiu que as entidades espanholas conhecem o projeto e “estão muito empenhadas neste alargamento geográfico da ‘Terras do Lince’ e na temática do turismo sustentável”.

O projeto poderá vir a ser estendido à Serra da Gata, em Espanha, lembrando a coordenadora da Territórios do Côa que, quando a candidatura foi iniciada, a carta chegou a ter a denominação de “Gata – Malcata”, precisamente pela intenção de unir os territórios de ambos os lados da fronteira.