InícioSociedadePossível exploração de lítio na Argemela gera protestos

Possível exploração de lítio na Argemela gera protestos

mineiros

A prospeção e pesquisa de eventuais minerais que possam vir a ser explorados na Serra da Argemela, que abrange localidades dos concelhos do Fundão e da Covilhã, está a despertar uma onda de protestos.

Na Internet circulam já várias petições públicas para travar o processo e esta quinta-feira o partido “Os Verdes” questinou o Governo sobre o assunto.

Na pergunta dirigida ao ministro da Economia, o deputado Luís Ferreira lembra que a Serra da Argemela apresenta “um ecossistema preservado constituído essencialmente por pinhal, mato e algumas manchas de eucalipto” e que existem também olivais e locais privados de cultivo para a agricultura de subsistência.

“Os Verdes” mostram-se preocupados com as consequências e impacto ambiental da eventual exploração que, a julgar pela área cartográfica prevista, incidirá sobre “locais emblemáticos da Serra, onde se localiza o ‘Castro da Argemela’, que remonta ao final da Idade do bronze e integra a ‘Rota dos Castros’, classificado como Imóvel de Interesse Municipal”.

“Por outro lado, o Rio Zêzere (cuja água abastece as bacias hidrográficas de Castelo do Bode, Cabril e Bouçã e que desagua no Rio Tejo), é muito próximo desta Serra, colocando em causa a contaminação de lençóis freáticos e do curso de água”, alerta igualmente o grupo parlamentar dos “Verdes”.

Deste modo, o partido quer saber se as populações das diferentes freguesias foram ouvidas logo em 2011, aquando da assinatura do contrato de prospeção e pesquisa de depósitos minerais e se, em caso negativo, o Governo “pretende realizar alguma ação de esclarecimento sobre esta exploração mineira direcionada para as populações locais”.

O motivo que levou ao aumento da área total de exploração e a existência de um plano de proteção/conservação para que monumento classificado de Interesse Municipal ou da Antiga Mina de Volfrâmio são outros dos aspetos que os “Verdes” pretendem ver esclarecidos.

O partido também pergunta “qual a data prevista para o início da exploração e qual a duração da mesma” e se está “prevista a criação de postos de trabalho para residentes daquele local”.