InícioSociedadeMacho espanhol veio acasalar a Portugal

Macho espanhol veio acasalar a Portugal

Um macho de lince-ibérico espanhol viajou até Portugal e acasalou com uma fêmea portuguesa, que tem crias, o que comprova haver “conexão efetiva” entre as duas populações selvagens da espécie existentes na Península Ibérica.

O macho “Mundo”, proveniente da população selvagem do Parque Nacional de Doñana, em Espanha, foi detetado no passado mês de abril junto ao território da fêmea “Malva”, da população selvagem introduzida no Parque Natural do Vale do Guadiana, no concelho de Mértola, em Portugal, explica o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em comunicado.

Cresce, assim, a hipótese da espécie recuperar de um período de quase extinção. Recorde-se que a Serra da Malcata, nas zonas de Penamacor e Sabugal, foi em tempos um habitat natural do lince-ibérico, mas os avistamentos destes animais deixaram de acontecer.

O macho “Mundo” foi detetado pelos técnicos da equipa de seguimento do ICNF, através de fotoarmadilhagem, e identificado graças ao seu padrão de pelagem individual, e “Malva”, atualmente, tem crias, refere o instituto.

Atualmente com dois anos, “Mundo”, que nasceu no campo e não foi marcado com colar radioemissor, tinha sido localizado pela última vez na área de Doñana-Aljarafe, em Espanha, em novembro de 2016, e deslocou-se para norte até uma zona do concelho de Serpa, já em Portugal.

“Mundo” terá percorrido cerca de 170 quilómetros até encontrar “Malva”, que foi reintroduzida em fevereiro de 2016 no Parque Natural do Vale do Guadiana, e “terão acasalado” no passado mês de dezembro.

Exemplares de lince ibérico têm sido introduzidos na natureza no âmbito do Projeto de Recuperação da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico em Espanha e Portugal “LIFE+Iberlince”.

O projeto, que é cofinanciado pela Comissão Europeia e reúne parceiros públicos e privados portugueses e espanhóis, visa recuperar a distribuição histórica do lince-ibérico em Portugal e em Espanha, de onde tinha desaparecido.

No âmbito do projeto já foram libertados mais de 170 linces e criados cerca de 150 empregos, através da implementação de ações como o seguimento de linces e a gestão de habitat.