InícioSociedadeGoverno lançou disciplina de “Cidadania” na Covilhã

Governo lançou disciplina de “Cidadania” na Covilhã

(c) Global Imagens

Arranca este ano letivo em 235 escolas do país a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento, que visa promover uma sociedade mais justa e inclusiva através da educação, foi hoje anunciado.

O Governo escolheu a Covilhã, mais concretamente a Escola Quinta das Palmeiras, para fazer o lançamento oficial, com presença do ministro Ajunto, Eduardo Cabrita, do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Catarina Marcelino, e do secretário de Estado da Educação, João Costa.

A Escola Secundária da Quinta das Palmeiras foi considerada por todos os intervenientes como um “modelo” na implementação de projetos e práticas inovadoras de aprendizagem e que também integra o conjunto de escolas que vão passar a ter a disciplina de Cidadania.

“Este é um projeto-piloto que serve para nos preparar para os próximos anos e que vem ‘legitimar’ muitas das práticas que já aconteciam nas nossas escolas e que agora ficam regulamentadas e que acabam por acontecer com outra robustez”, esclareceu o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Escola – (c) EQP

O governante destacou a importância desta área passar a estar formalmente prevista e estruturada nos currículos e lembrou que a “preparação dos cidadãos mais novos para a cidadania é “urgente”, já que aponta para o “desígnio inequívoco” de “formar cidadãos que preservem e possam construir um Portugal cada vez mais democrático, cada vez mais inclusivo e, por isso mesmo, cada vez mais sustentável”.

Uma importância igualmente destacada pelo ministro Adjunto, Eduardo Cabrita, que lembrou que, com este programa, se está a dar mais um passo no caminho para uma “sociedade mais feliz, de um país mais inclusivo, de uma sociedade mais participativa e mais solidária”.

Eduardo Cabrita frisou ainda a importância de o lançamento desta iniciativa ter sido realizado numa cidade e numa escola do Interior, onde, como se verificou ao longo da visita, a “excelência também tem lugar”.

No primeiro ciclo, a disciplina tem uma natureza transdisciplinar (com avaliação apenas qualitativa), mas nos segundo e terceiro ciclos será uma disciplina autónoma, com avaliação quantitativa, tal como Português ou Matemática.