InícioSociedadeCor e animação encheram as ruas fundanenses

Cor e animação encheram as ruas fundanenses

(c) Catarina Canotilho/JF

AS RUAS da zona histórica do Fundão vestiram-se de novas cores e de muita alegria para receberem os visitantes do Cale &SangriAgosto. E foram muitos aqueles que fizeram questão de passar pelo festival logo no primeiro fim de semana, superando as melhores expectativas não só da organização como dos comerciantes e “tasqueiros”.

“O primeiro grande objetivo que é trazer pessoas para o coração da cidade foi absolutamente superado. Depois verificámos que houve muita gente que aproveitou a ocasião para se reunir com amigos e família e outros que se encontraram por acaso. Mas tudo isto no permite concluir que a zona antiga não tem de estar condenada”, referiu ao JF Carlos São Martinho, presidente da Associação Comercial do Fundão, entidade que organizou o festival em parceria com a Câmara e com a Junta de Freguesia.

Nas contas do sucesso, soma-se ainda o número de copos ecológicos utilizados (12 mil) e que, por se destinarem a bebidas como a sangria, não abrangem as crianças, ou os mais de 60 estiveram em funcionamento e também a adesão dos comerciantes que decoraram as montras a preceito. Já as pulseiras, que deveriam permitir apurar o número de visitantes, não entram nesta equação porque se verificou um problema com a distribuição, que “será corrigido já este fim de semana”, segundo Carlos São Martinho, apontando ainda as reações dos visitantes que se mostraram “muito agradados” com o reforço da componente ecológica.

“Este ano não me posso queixar”, referia, logo no sábado, Vítor Antunes, da Tasca da Estação. Na conversa com o JF, o proprietário da mediática tasca fundanense que por estes dias se “transfere” para o centro revelava ainda que este ano o primeiro dia do evento foi muito mais concorrido do que nos outros anos.

Igual opinião tem Carmo Brito, que a “Tasquinha da Cereja” num antigo café. Esgotou a sangria de cereja e a de melão esteve perto de acabar. E a festa continua…

Catarina Canotilho