InícioSaúdeRegião Centro dá 352 mil euros para investigação do cancro

Região Centro dá 352 mil euros para investigação do cancro

cancro investigaçao

O núcleo da região Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) atribuiu 352 mil euros de apoio à investigação e formação na área da oncologia, e apresenta na quinta-feira, em Coimbra, os projetos desenvolvidos por 14 bolseiros.

Nos últimos três anos, foram atribuídos 352 mil euros, entre bolsas de investigação individuais e apoio direto ao Centro de Investigação em Meio Ambiente, Genética e Oncobiologia (CIMAGO) da Universidade de Coimbra, disse à agência Lusa o presidente do Núcleo Regional do Centro da LPCC, Carlos de Oliveira.

De acordo com o responsável, o apoio à investigação e formação é parte da missão da Liga, sendo que neste ano o núcleo regional pretende aumentar “significativamente” a verba de apoio à formação num montante total de 25 mil euros (foram atribuídos sete mil euros nos últimos três anos) e criar um prémio de mérito científico, no valor de dez mil euros, a anunciar.

Na quinta-feira, pelas 09:30, o núcleo promove uma sessão de divulgação das bolsas de investigação atribuídas nos últimos três anos, com a apresentação dos projetos apoiados e dos resultados daqueles que já estão terminados, contou Carlos de Oliveira.

Ao todo, são 14 bolseiros, doze no âmbito da bolsa de apoio a investigadores do CIMAGO e dois apoiados com Bolsas de Investigação em Oncologia Dr. Rocha Alves, referiu.

As bolsas, com um valor de cerca de dez mil euros anuais, duram um ano e “não obrigam à exclusividade de as pessoas não receberem mais nenhum ordenado”, esclareceu Carlos de Oliveira.

Para além das bolsas individuais, o núcleo regional também apoiou anualmente, de forma direta, o CIMAGO, “que congrega o maior grupo de investigadores na área do cancro na zona centro”, frisou.

A maioria dos projetos apoiados são desenvolvidos por não médicos, “na área da investigação básica e investigação translacional [aplicação no ser humano]”.

As investigações translacionais centram-se “na pesquisa de novos mecanismos de biologia celular do cancro ou de aspetos epidemiológicos do cancro”, sendo sobretudo “investigação laboratorial”, referiu.

De acordo com o presidente do núcleo regional, na atribuição de bolsas dá-se preferência “à investigação translacional”.

O núcleo promove o apoio à investigação desde “praticamente a sua fundação”, há quase 50 anos, tendo esse mesmo apoio passado a ser mais estruturado a nível nacional a partir de 2010, esclareceu.

De acordo com Carlos de Oliveira, entre 2013 e 2015, a Liga e os seus núcleos regionais atribuíram um apoio total de 1,9 milhões de euros à investigação e formação.