InícioPolíticaPartidos questionam Governo sobre balcão do Teixoso

Partidos questionam Governo sobre balcão do Teixoso

Deputados do PSD, PS e Bloco de Esquerda apresentaram na última semana, de forma autónoma, perguntas ao Governo sobre o anunciado encerramento da agência da Caixa Geral de Depósitos (CGD) do Teixoso, concelho da Covilhã.

Nas perguntas apresentadas através da Assembleia da República, cada um dos partidos demonstra oposição a esta medida, mostrando-se preocupados com os impactos do facto e lembrando que está em causa um serviço de caráter público que serve populações e empresas do Interior do País e cuja área de abrangência abarca várias freguesias da zona norte do concelho da Covilhã.

Os partidos destacam ainda que a população e os autarcas locais já se manifestaram publicamente contra o eventual encerramento, designadamente com uma manifestação que se realizou no dia 17.

Deste modo, e ressalvando que o Plano de Reestruturação da rede comercial da CGD tem de “ter em conta as necessidades concretas da população, os deputados do PS eleitos pelo círculo de Castelo Branco, Hortense Martins e Eurico Brilhante Dias, solicitaram ao Governo esclarecimentos sobre se aquela agência vai ou não encerrar e se o Governo tem “conhecimento dos critérios que serão usados na avaliação quanto ao serviço público a prestar às populações, bem como sobre os critérios usados no caso desta agência.

“Foram acautelados os postos de trabalho dos trabalhadores, assim como os seus direitos? Que medidas têm vindo a ser tomadas no sentido de garantir que as populações do país, e em particular do interior do território nacional, manterão um elevado nível de serviço de entidade bancária pública, tendo em conta as características sociológicas e nomeadamente as distâncias, tempo, assim como a falta de transportes públicos?”, são também perguntas apresentadas pelos deputados socialistas.

Subscrito por Álvaro Batista, Manuel Frexes, Berta Cabral, António Costa Silva, António Ventura, José Silvano e Fátima Ramos, o pedido do PSD apresenta sete questões, a começar também pelo pedido de confirmação do encerramento e do que está previsto acontecer.

Os sociais-democratas querem também saber se, caso tenha já sido tomada, a decisão foi precedida de algum estudo de âmbito económico ou social e quais os fundamentos que estiveram na origem da mesma.

“Tendo existido algum estudo, é ou não verdade ser evidente que a área de influência e intervenção direta da agência da CGD do Teixoso abrange um território superior a 100 quilómetros quadrados do norte do concelho da Covilhã. Servindo aproximadamente 11.000 habitantes de acordo com os censos (…)? É ou não verdade que esta agência tem dado lucro à CGD e nela não se verificam, sequer, casos substanciais de crédito mal parado?” são outras das questões apresentadas pelos eleitos do PSD, que querem ainda saber quando é que o atual Governo prevê apreciar a eventual suspensão ou revogação da medida.

Pelo Bloco de Esquerda, o deputado Pedro Soares também pergunta se o Governo tem conhecimento de que a CGD pretende encerrar a referida agência e se “considera que o eventual encerramento se coaduna com uma política de valorização do Interior anunciada pelo executivo”.

“Que medidas pode o Governo tomar de modo a que não se concretize o encerramento da agência da CGD no Teixoso, impedindo que se instale uma espiral depressiva que desprotege as populações e a economia do Governo”, é igualmente questionado pelo deputado bloquista.

Na última semana, o PCP também já tinha apresentado ao Governo um conjunto de questões sobre o anunciado encerramento deste balcão, que também classificou como “muito prejudicial para as populações”.