InícioGuardaArquiteto beirão vence concurso nos EUA

Arquiteto beirão vence concurso nos EUA

António Saraiva - (c) Rui da Cruz/Global Imagens

A proposta do arquiteto António Saraiva, da Guarda, foi a vencedora do concurso para o monumento de homenagem aos soldados lusoamericanos a edificar na cidade de Newark, em New Jersey, nos Estados Unidos da América (EUA).

O autor do projeto disse esta quinta-feira que a sua proposta foi a vencedora entre as quatro finalistas de um concurso lançado pela organização Luso-American Veterans Monument.

António Saraiva recebeu a notícia da seleção da sua proposta com “agrado”, por “conseguir implantar um marco português, mas também guardense, nos EUA”.

“É um estado de satisfação, visto poder levar avante um projeto, uma obra de arte destas e, depois, ser no país que é”, afirmou à Lusa.

O monumento de homenagem aos soldados lusoamericanos e portugueses que prestaram serviço nas forças armadas dos EUA será edificado no Peter Francisco Park, na cidade de Newark, e “honrará e imortalizará de uma forma perene os feitos desses combatentes que contribuíram para a construção da grande nação americana e para a edificação da paz e da liberdade em vários pontos do globo”.

O Luso-American Veterans Monument foi projetado por António Saraiva com o mote “Unidos por uma causa: Paz”.

O monumento ocupará uma base de 9×9 metros quadrados e terá uma estrutura em dupla espiral – que simboliza “o perpetuar, o elevar, os feitos dos combatentes” – que chega aos cinco metros de altura.

“Numa das espirais apresentam-se registos de soldados em várias posições de combate e com diferentes equipamentos” e, na outra, “várias pombas em voo que se vão destacando da superfície curva conforme vão evoluindo em altura”, que simbolizam a paz, relatou o autor.

A estrutura principal do monumento, em forma de dupla espiral, será executada em aço ‘corten’ de ambas as faces e, no interior, em chapa de inox.

“Todo o conjunto é envolto de forte simbologia. Desde logo, o pavimento de granito em quadrícula, remete-nos para o jogo de xadrez, jogo de estratégia, de campo de batalha, e os pontos de água transmitem o dinamismo, a força e a ação dos combatentes”, justifica.

O projeto tem uma previsão orçamental de cerca de 250 mil dólares e a sua execução poderá iniciar-se no último trimestre deste ano.

O arquiteto António Saraiva, de 55 anos, possui especialização em gestão de centros históricos e é também o atual presidente da Federação Distrital do PS/Guarda.

É ainda vice-presidente do Centro Cultural Os Serranos (Newark, New Jersey, USA) e autor de vários projetos de arquitetura e de obras de arte como o mural Ciclo da Vida (Unidade Local de Saúde da Guarda), monumentos a monsenhor Alves Brás (Guarda e Casegas – Covilhã) e de várias medalhas comemorativas e esculturas em cerâmica, bronze, chapa perfilada e acrílico.