InícioFundãoMisericórdia do Fundão assinalou 500 anos

Misericórdia do Fundão assinalou 500 anos

António Santos Pereira foi um dos oradores

A Santa Casa da Misericórdia do Fundão (SCMF), em colaboração com a Universidade da Beira Interior (UBI), realizou nos dias 3 e 4 de março o congresso “Misericórdia do Fundão – 500 Anos de Solidariedade”.

O encontro reuniu investigadores de todo o país, contou com a presença da presidente da Academia Portuguesa de História, Manuela Mendonça, e serviu para reforçar a importância história das Misericórdias enquanto entidades de natureza social e cultural.
Manuela Mendonça sublinhou a importância do “percurso secular de uma casa de bem-fazer”, enaltecendo o papel das Misericórdias e as obras sociais que lhe dão vida.

Além de Manuela Mendonça, que também integrou a Comissão Científica do congresso, destaque-se a presença e participação do professor catedrático UBI, António Santos Pereira que, além de integrar a mesma Comissão Científica, foi orador na conferência inaugural do encontro.

Considerando que “as obras de Misericórdia devem ser vistas como um hino à vida”, António Santos Pereira vincou que a Misericórdia “cumpriu e cumpre um amplo serviço social, cultural, financeiro que sustentou uma das economias mais prósperas da Beira, a do Fundão”.

Durante dois dias os professores e investigadores, Joaquim Candeias da Silva, Maria da Graça Vicente, Clara Vaz Pinto, Joana Balsa de Pinho, Mónica Gonçalves, Joana Bizarro, Pedro Salvado, Ricardo Silva, Lourenço Marques, João Cosme, Maria Manso e José António Martins levaram os congressistas numa viagem histórico-cultural que lhes permitiu conhecer a importância da SCMF nos domínios da assistência e solidariedade, no património arquitetónico e artístico ou na paisagem religiosa do território.
Todas as intervenções farão parte de um livro de atas que a SCMF editará e cujo conteúdo marcará a compreensão e estudo da história da Misericórdia do Fundão.