InícioFundãoHotel Príncipe da Beira tem vários interessados

Hotel Príncipe da Beira tem vários interessados

O Hotel Príncipe da Beira está à venda por 2,5 milhões de euros no “Caixa Imobiliário” e já há vários interessados naquela unidade de quatro estrelas, situada à beira da estrada nacional 18, entre a Serra da Estrela e a Serra da Gardunha, confirmou o JF junto do “Caixa Imobiliário” do Grupo Caixa Geral de Depósitos, que é dono do edifício.
O hotel começou por ser posto à venda em 2015, mas a necessidade de resolver previamente questões relacionadas com o registo de algumas áreas exteriores levou à suspensão temporária do anúncio e respetivo dossier promocional.
Em dezembro último, a unidade hoteleira voltou a ser posta à venda e, em pouco mais de um mês, despertou o interesse de vários investidores nacionais do ramo hoteleiro e também de um grupo sueco, soube o JF junto do “Caixa Imobiliário”.
O JF sabe também que, neste momento, o investidor mais bem posicionado é originário da zona sul do país e pretende rentabilizar o hotel, apostando no potencial turístico regional da neve, das cerejeiras em flor e depois em fruto e, até mesmo, no turismo europeu.
O investimento foi feito em 2004/5, a partir do parcial aproveitamento do antigo seminário do Fundão, que funcionou naquele local.
Tem 68 quartos, seis dos quais são suítes, salas de estar, um restaurante com vista para a Serra da Estrela e várias áreas de lazer e de convívio, designadamente uma piscina biológica, um spa e também uma sala de jogos. O edifício é constituído por quatro pisos, possuindo uma área envolvente de 4 mil metros quadrados.
Esteve a funcionar apenas alguns anos. Desentendimentos entre os sócios terão conduzido ao encerramento de uma unidade decorado com bom gosto. O hotel possui um estilo de arquitetura que combina o moderno com o tradicional.
O interesse do edifício onde foi construído o hotel reside no facto de ter servido de albergue a instituições, que contribuíram para o desenvolvimento sócio- económico e cultural do concelho do Fundão.

Lúcia Reis