InícioEspeciaisPortugal confirma que não há obras na central de Almaraz

Portugal confirma que não há obras na central de Almaraz

A comitiva portuguesa que visitou segunda-feira a central nuclear espanhola de Almaraz, recolheu informação e confirmou a ausência de obras de construção de um armazém de resíduos radioativos, remetendo mais informações para dentro de duas semanas.

“Os especialistas nacionais tiveram oportunidade de confirmar que ainda não se iniciaram os trabalhos de construção do armazém de resíduos radioativos, tendo sido apenas registado que houve abate de árvores naquela zona”, refere um comunicado do Ministério do Ambiente, que sublinha o “espírito de abertura” e também a “ativa presença” da Comissão Europeia no encontro.

Os técnicos recolheram informação sobre o Estudo de Impacto Ambiental e toda a informação recolhida é agora analisada por peritos nacionais, “e será solicitada informação adicional”, diz-se no documento.

“Na semana de 13 de março deverão estar reunidas as condições para se produzir uma primeira apreciação por parte da delegação portuguesa”, refere ainda o comunicado.

O comunicado surge depois de uma visita à central nuclear de delegações de Portugal, Espanha e da União Europeia, na sequência de um acordo entre Portugal e Espanha mediante o qual Portugal retirou uma queixa contra o país vizinho a propósito da construção de um armazém de resíduos nucleares em Almaraz, a cerca de 100 quilómetros da fronteira.

Entretanto, já nesta terça-feira, em Bruxelas, a ministra espanhola do Ambiente garantiu “toda a transparência” sobre o armazém de resíduos nucleares em Almaraz, esperando mostrar à Comissão Europeia e aos “vizinhos e amigos portugueses” que o projeto cumpre todas as regras.

“O que Espanha quer é dar toda a transparência e toda a informação necessária, tanto à Comissão (Europeia) como aos nossos vizinhos e amigos portugueses. E, desse ponto de vista, comprometemo-nos a que Portugal possa fazer um seguimento e a facilitar-lhe toda a informação, desde uma visita física para ver as instalações até à informação que seja solicitada antes de seguir em frente com este projeto que, como digo, cumpre com as exigências europeias e espanholas em matéria ambiental e de segurança nuclear”, afirmou Isabel Garcia Tejerina.