InícioEconomiaFábrica de calçado de Seia anuncia grande investimento

Fábrica de calçado de Seia anuncia grande investimento

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, admitiu hoje que há setores onde já se sente falta de mão-de-obra, embora entenda que este é um problema “mais positivo” do que o elevado desemprego encontrado ao chegar ao Governo.

“Há alguns setores onde já se sente a falta de mão-de-obra e é para esses setores que temos de canalizar a formação e ajudar quem está no desemprego a encontrar um emprego mais qualificado e, por isso mesmo, com melhores condições e remuneração. É assim que se progride e é esse o caminho que estamos a fazer”, referiu.

No final de uma visita à fábrica de calçado Ara, em Seia, Manuel Caldeira Cabral frisou que o atual Governo tem “uma aposta muito forte” na qualificação e na formação.

“Temos que valorizar mais a mão-de-obra e temos que trazer mais mão-de-obra para o mercado de trabalho, com melhores qualificações. Essa é uma aposta que está no Plano Nacional de Reformas e é uma aposta que estamos a seguir com toda a convicção”, sustentou.

No seu entender, os números relativos ao desemprego nacional têm vindo a diminuir, ultrapassando as expectativas de praticamente todas as agências internacionais, no entanto, Portugal ainda tem “um nível de desemprego elevado”.

“Mas, quando o problema é de mão-de-obra, estamos a falar de problemas que são mais positivos do que o problema que tínhamos quando entrámos no Governo, que era de muito desemprego: de muita mão-de-obra sem ser ocupada e de pessoas a sair do país”, apontou.

A fábrica de calçado alemã Ara está implantada em Seia há 26 anos e produz diariamente cerca de sete mil pares de sapatos de senhora.

Com cerca de 420 trabalhadores, esta é uma empresa que exporta praticamente toda a sua produção, maioritariamente para a Europa Central.

Durante a visita, os representantes da Ara informaram que a fábrica de calçado está a preparar um investimento de 1,5 milhões de euros para os próximos meses, na aquisição de uma máquina para aumentar a produção.

A máquina deverá chegar em setembro e fará com que seja necessário contratar cerca de três dezenas de trabalhadores.