InícioDesportoFoi um russo o mais forte a pedalar no primeiro dia

Foi um russo o mais forte a pedalar no primeiro dia

O ciclista russo Alexander Evtushenko (Lokosphinx) atacou esta sexta-feira para a vitória e para a liderança do 2.º Grande Prémio Internacional Beiras e Serra da Estrela, mas foi Ricardo Mestre (W52-FC Porto) a perfilar-se como candidato ao triunfo final.

Alexander Evtushenko imitou a papel químico a tática que lhe deu a vitória na primeira etapa da Volta a Castela e Leão e, à entrada para o quilómetro final da primeira tirada, já no coração de Celorico da Beira, atacou os seus três companheiros de fuga para cortar a meta isolado, com o tempo de 5:14.03 horas.

O jovem de 23 anos, que não sabe falar outra língua que não o russo, ‘traiu’ aqueles que o acompanharam durante mais de 75 quilómetros, deixando o espanhol Jesús del Pino (Efapel) e o português Ricardo Mestre (W52-FC Porto), respetivamente segundo e terceiro, a cinco segundos.

Terceiro na meta, o ‘dragão’ algarvio, que é segundo na geral, a oito segundos de Evtushenko, é agora o grande candidato a vencer a segunda edição da prova beirã, graças a um pelotão estilhaçado, que chegou a Celorico da Beira a 3.38 minutos do vencedor da primeira etapa.

“Saímos para esta etapa com a convicção de que este dia iria fazer mais diferenças na geral do que a etapa de domingo. Ninguém vai querer arriscar na subida à Torre”, revelou Mestre, referindo-se à terceira e última etapa, que sobe ao ponto mais alto de Portugal continental, antes de descer rumo a Manteigas.

Apesar da lição bem estudada, o vencedor da Volta a Portugal de 2011 recusa assumir-se já como favorito: “Ainda falta bastante corrida. Nas últimas semanas, tenho tido boas sensações. Mas a etapa de hoje foi muito longa, muito dura, fez muito calor. Vai passar fatura a muitos ciclistas.”

Nota para uma queda uma queda coletiva, que partiu o pelotão em dois, após a meta volante de Orca, situada ao quilómetro 28,6, dois grupos, o primeiro com seis ciclistas, e o segundo com 13, estiveram isolados na frente, antes de serem ‘caçados’ por um muito reduzido pelotão, com cerca de 50/60 unidades, ao quilómetro 105.

No sábado, a segunda etapa vai testar novamente a resistência dos corredores, com a ligação de 192 quilómetros entre Fornos de Algodres e Trancoso a incluir três contagens de montanha (uma de segunda categoria e duas de terceira).