InícioCulturaWool – Festival de arte urbana está de volta à Covilhã

Wool – Festival de arte urbana está de volta à Covilhã

O festival WOOL – Covilhã Arte Urbana regressa em junho, após um ano de paragem imposto pela falta de apoios financeiros, anunciou a organização, acrescentando que voltará a contar com artistas internacionais.

“Após o interregno de um ano, o centro histórico da cidade será novamente o palco de atuação dos artistas Bosoletti (Argentina), DOA OA (Espanha), Halfstudio e Third (Portugal), que nos brindarão com trabalhos onde as temáticas e inspirações se prenderão com o todo que compõe o território histórico, social, arquitetónico, cultural e/ou natural único desta região, sendo precisamente esta uma das consequências e características de diferenciação este evento”, refere a organização.

Esta quarta edição decorrerá entre os dias 3 e 11 de junho e terá uma sessão adicional no dia 17 de junho.

Lembrando que a ação dos artistas poderá ser acompanhada diariamente pela população, a organização adianta também que, além da já habitual intervenção em paredes, esta edição do WOOL também vai contar com um conjunto de ações que visam dar “nova vida ao centro histórico da cidade”, bem como “complementar e potenciar o elo de ligação entre o público, as obras e os artistas participantes”.

Entre as várias atividades está a realização de duas exposições (WOOL Pieces e WOOL Meets Roubaix), que pretendem apresentar respetivamente o trabalho dos artistas presentes nesta e nas anteriores edições e ainda a primeira fase do projeto a ser desenvolvido em parceria com o espaço criativo Le Non Lieu, em Roubaix (cidade geminada da Covilhã, em França).

Do programa constam também as habituais visitas guiadas que permitem dar a conhecer o projeto, os artistas e as obras em pormenor, além da atividade “conversas com os artistas”, na qual os artistas se apresentam à comunidade e abrem espaço ao diálogo.

Destaque ainda para o Lata 65, uma oficina de arte urbana para idosos, que “curiosamente se realiza pela primeira vez na cidade que inspirou a sua criação”.

Para encerrar a primeira semana, no dia 10 de junho, às 21:30, o New Hand Lab, uma antiga fábrica hoje transformada em espaço criativo e multidisciplinar, recebe um concerto de Noiserv, cuja primeira será assegurada por uma banda residente, o Coletivo Profound Whatever, que irá musicar excertos do filme “El Topo” do Alejandro Jodorowsky”.

O WOOL realizou-se em 2011, 2014 e 2015, edições em que foram intervencionadas várias paredes da zona histórica da cidade, criando-se um circuito de arte urbana em que se encontram obras de artistas como Vhils, Bordalo II, BTOY, Pantónio e Samina, entre outros.

Mariana Rodrigues