InícioCovilhãReformados dos lanifícios protestam por causa dos medicamentos

Reformados dos lanifícios protestam por causa dos medicamentos

Reformados dos lanifícios realizaram esta quinta-feira um cordão humano que percorreu algumas ruas da Covilhã, numa ação em que exigiam a reposição do pagamento integral dos medicamentos comparticipados, independentemente de serem genéricos.

“Alterem a portaria, não nos obriguem a ir para outras formas de luta mais avançadas e mais radicais,” afirmou Luís Garra, presidente do Sindicato Têxtil da Beira Baixa (STBB), afeto à CGTP-IN, entidade que promoveu o protesto.

O sindicalista referia-se aos projetos de resolução apresentados na Assembleia da República pelo PCP e pelo BE, que irão a votação no dia 5 de maio e nos quais é proposto que estes reformados voltem a ter acesso gratuito a todos os medicamentos comparticipados, mesmo que não sejam genéricos.

Em causa está a alteração à lei, feita pelo atual Governo, que além de ter aprovado que o pagamento passe a ser realizado diretamente através das farmácias, sem que seja necessário o utente pedir o reembolso, também introduziu uma alteração que indica que a comparticipação terá em conta o preço de referência.

 

Este responsável considerou ainda “ignóbil” que haja pedidos de reembolsos realizados antes da alteração da lei que estão por pagar, passados mais de cinco a seis meses.

É o caso de Helena Pinto, 72 anos, que apresentou um pedido em 20 de dezembro.

“Só me dizem que estão à espera da autorização de Coimbra”, explicou, mostrando-se ainda preocupada com o que poderá ter de pagar quando voltar a precisar de medicamentos.

Já Gabriel Carrola explica que na última deslocação à farmácia já foi confrontado com a necessidade de pagar 4,70 euros, valor que antes não lhe era cobrado.

Igualmente apreensiva está Patrocínia Oliveira, que está a dever 170 euros à farmácia, “à espera que a situação se resolva”.

Catarina Canotilho