InícioCovilhãPais protestam contra más condições de escola no Tortosendo

Pais protestam contra más condições de escola no Tortosendo

Pais e encarregados de educação de crianças que estudam na EB1 Montes Hermínios, no Tortosendo, concelho da Covilhã, organizaram hoje um protesto pacífico contra a falta de condições daquela escola.

“Estamos aqui porque a escola está completamente degradada, quer no interior, quer no exterior. Temos reboco a cair, infiltrações nas paredes e casas de banho sem condições que, até há bem pouco tempo, no caso dos meninos, tinha apenas uma sanita e dois urinóis”, referiu Rui Campos, porta-voz do grupo de pais que promoveu o protesto.

Munidos de balões que distribuíram pelas crianças e de pequenos cartazes em que se liam palavras como “vergonha”, os pais reivindicaram a concretização de obras na escola básica do primeiro ciclo, uma intervenção que a Câmara Municipal da Covilhã diz que está programada.

Todavia, os pais queixam-se da demora em resolver problemas que persistem há anos: “Já estamos à espera há muito tempo. Agora dizem que adiaram para as férias de Natal, depois dizem no Natal que vão adiar para a Páscoa e quando chegarmos à Páscoa passam novamente para o verão e para o ano continua tudo igual”, afirmou Sofia Lourenço, mãe de um aluno de oito anos.

Odete Borges, mãe de uma menina também de oito anos, alertou para a questão da segurança, explicando que, devido às más condições do pátio, as quedas e ferimentos são constantes, sendo que também se verificam no interior em consequência de cadeiras que vão partindo.

Num comunicado emitido depois de ter sido anunciada a marcação do protesto para o dia de hoje, a Câmara da Covilhã indicou que “nunca negligenciou a escola e os seus alunos” e que a intervenção daquele estabelecimento será realizada no âmbito do Plano de Requalificação do Parque Escolar, que está a decorrer.

Segundo a nota de imprensa, optou-se por adiar a intervenção para as pausas letivas do Natal e do verão, tendo-se, todavia, procedido a trabalhos mais urgentes, nomeadamente no piso do recreio e nos sanitários.

Referindo que há informações transmitidas pelo grupo de pais que não correspondem à verdade, a nota de imprensa também considera que se está perante “uma clara e inequívoca tentativa de aproveitamento político do assunto”, que diz estar a ser promovida por “pais politicamente orientados”.

As acusações foram prontamente rejeitadas pelos promotores do protesto, ao qual aderiram vários outros pais: “Não há aqui partidarização. O nosso partido é o superior interesse das crianças”, sublinhou Rui Campos.

O presidente da Junta de Freguesia do Tortosendo, David Silva, também esteve junto à escola, num “gesto de solidariedade institucional” para com os pais, tendo deixado votos de que as obras possam ser concretizadas “o quanto antes”.

Segundo os pais, esta escola terá cerca de 40 anos e neste ano letivo tem matriculados cerca de 90 alunos com idades entre os 6 e os 10 anos.