InícioCovilhãCovilhanenses controlam construção de barragem na Albânia

Covilhanenses controlam construção de barragem na Albânia

Uma empresa da Covilhã – a InfraLab – vai participar na construção de uma barragem na Albânia, sendo responsável pela avaliação e controlo de qualidade de materiais usados na peça central do projeto, um paredão de 150 metros de altura.

“Trata-se de uma barragem de aterro com o núcleo central em asfalto, sendo que este núcleo é uma parede vertical de 150 metros de altura feita em asfalto impermeável e que impede que a água passe de um lado para o outro do aterro. Basicamente, será a mais alta barragem do mundo construída através deste método”, especificou Sérgio Patrício, engenheiro civil e proprietário da InfraLab.

O responsável explicou que esta parte da obra será realizada por uma empresa suíça (Walo Bertshinger AG), com a qual a InfraLab já trabalhou noutros projetos e que voltou agora a contratar a empresa covilhanense para o trabalho de controlo de qualidade.

“A nossa função é realizar o controlo de qualidade de todos os materiais aplicados nessa componente da obra, pelo que teremos lá um técnico em permanência que realizará quer os testes em laboratório, quer os ensaios na própria obra”, especificou, referindo que a barragem será construída no rio Devoll e que irá produzir 12% da energia elétrica da Albânia.

Sérgio Patrício destacou ainda a importância que esta obra assume para a empresa que lidera, uma vez que permite alargar um currículo no qual já consta a participação num projeto similar, levado a cabo também com a Walo Bertshinger Age com a Adger Energi, uma das maiores empresas hidroelétricas da Noruega.

“É o reconhecimento do trabalho que já estamos a desenvolver e da nossa competência técnica. Simultaneamente, é uma obra que nos enriquece e valoriza muito, porque passamos a poder dizer que temos ‘know-how’ e que estivemos envolvidos na construção de mais uma obra internacional de grande envergadura”, referiu.

A InfraLab está sediada no Parkurbis da Covilhã, distrito de Castelo Branco, e foi criada em 2010, quando Sérgio Patrício decidiu regressar à região onde nasceu (é natural de Silvares, no Fundão), com o projeto de construir uma empresa na mesma área em que já exercia funções na Suíça, onde trabalhou durante 12 anos.

Catarina Canotilho