InícioCastelo BrancoQuarenta instituições participam em Feira da Economia Social

Quarenta instituições participam em Feira da Economia Social

Nos dias 29 e 30 vão participar quarenta instituições particulares de solidariedade social (IPSS), na Feira da Economia Social de Castelo Branco, um setor que vale cerca de 80 milhões de euros anuais no distrito.

“Depois do sucesso da primeira feira social, apresentamos a segunda edição. Este é o caminho que queremos fazer, de aposta e apoio às instituições e, também com elas, aumentar o apoio permanente a todos os que necessitam”, afirmou o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, durante a conferência de imprensa para a apresentação do evento.

A II Feira de Economia Social da região de Castelo Branco tem como objetivo criar sinergias entre as IPSS e mostrar aquilo que as instituições fazem no terreno, sendo que neste momento já se encontram 40 IPSS inscritas para participar neste certame que vai contar com a presença do ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva, na sessão de abertura.

O diretor, Melo Bernardo, adiantou ainda que este setor representa mais de 5.300 postos de trabalho altamente qualificado no distrito, sendo que, deste total, mais de 1.600 dizem respeito ao concelho de Castelo Branco.

“Trata-se de um setor que nos últimos anos criou muito emprego. A economia social tem ainda a vantagem de não se deslocalizar”, sustentou Melo Bernardo.

Um dos sete parceiros do município é o Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Castelo Branco, cujo Melo Bernardo, realçou a importância da economia social no distrito e que vale cerca de 80 milhões de euros anuais.

O certame, além da mostra social, conta ainda com seminários e conferências ao longo dos dois dias e um concurso de ideias.

Como parceiros, além do município de Castelo Branco, estão ainda a Associação Amato Lusitano, o Instituto Politécnico local, a Associação Empresarial da Beira Baixa, o Centro de Empresas Inovadoras, a Associação Comercial e Empresarial da Beira Baixa e o Instituto do Emprego e da Formação Profissional.