InícioCastelo BrancoEstado paga 20 mil euros por mês a jovens que “não existem”

Estado paga 20 mil euros por mês a jovens que “não existem”

O futuro é incerto para a Casa da Tapada da Renda, em Louriçal do Campo (Castelo Branco), onde funciona um centro especializado de acolhimento de jovens, gerido pela ADM Estrela, fruto de um protocolo de cooperação estabelecido com o Instituto de Segurança Social.

Apesar de a Segurança Social não ter ali colocado jovens, a entidade gestora continua a receber uma verba mensal de cerca de mais de 20 mil euros pelo Estado, tal como definido no protocolo estabelecido em 2015 e com prazo de 20 anos, para fazer face às despesas com pessoal e restantes encargos.

O número máximo de vagas é de 24. Há muitos anos que a ocupação ronda uma dezena de jovens ali colocados à guarda da ADM Estrela. Desde a transferência dos últimos nove jovens – aquando do julgamento de um processo relacionado com agressões, não provadas em tribunal, dos técnicos aos jovens – que a Tapada da Renda não voltou a receber ocupantes.

“Estando o modelo de intervenção ali desenvolvido em avaliação, a casa em questão continua sem ocupação, encontrando-se prevista para breve um reunião com a instituição com vista a analisar conjuntamente o futuro do espaço e da resposta em particular”, informa o Instituto de Segurança Social.

Afectos à Tapada da Renda permanecem, segundo a ADM Estrela, 25 funcionários que sem outras ocupações, estão a fazer trabalhos de manutenção dos espaços.

O diretor geral daquela associação, José Gomes, esclarece que da parte desta entidade “estão a ser cumpridos todas as obrigações. A gestão das vagas é feita pela Segurança Social”.

De facto, atendendo à especificidade da intervenção desenvolvida por este tipo de respostas, vocacionadas para problemas de comportamento, a admissão de crianças e jovens é exclusivamente da responsabilidade deste instituto.

Localizada em Louriçal do Campo, a gestão da Casa da Tapada da Renda já esteve nas mãos da Justiça, da Segurança Social e está desde 2015 entregue à ADM Estrela, com sede na Guarda, fruto de um concurso público.

Trata-se de um equipamento que se destina ao acolhimento institucional, em programa residencial especializado, de jovens do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 12 e os 18 anos, com medida de promoção e proteção de acolhimento institucional, na modalidade de acolhimento prolongado.

Célia Domingues