InícioCastelo BrancoBoom Festival compra terreno por um milhão de euros

Boom Festival compra terreno por um milhão de euros

A organização do Boom Festival adquiriu 150 hectares da Herdade da Granja, em Idanha-a-Nova, distrito de Castelo Branco, um investimento que ultrapassou o milhão de euros.

“Desde 2009 que decidimos que o Boom Festival deveria ter um espaço físico na região de Idanha-a-Nova onde os nossos princípios se pudessem expressar através de atividades e eventos conscientes. A ‘Boomland’ pretende ser um polo dinamizador da região de Castelo Branco e um espaço de aprendizagem.”, refere em comunicado Artur Mendes, da organização do Boom Festival.

A operação de mais de um milhão de euros consolida a relação do festival com este espaço e com a região, sendo que o Boom Festival é um evento bastante acarinhado pela comunidade local e assumiu a missão de projetar Idanha-a-Nova como um destino reconhecido a nível mundial.

Em 2009, ano em que o Boom Festival se instalou na Herdade da Granja, a organização transferiu também a sua sede para o concelho de Idanha-a-Nova, criando, desde então, a associação IdanhaCulta, que se dedica ao desenvolvimento social, cultural, recreativo e ambiental.

Atualmente, está a ser fechado um protocolo com a Câmara de Idanha-a-Nova com o objetivo de apoiar a criação deste polo cultural.

A organização adianta ainda que, além da realização do festival bienal, a herdade agora adquirida será palco de novos programas de cultura, bem-estar, eventos de arte, retiros e atividades educativas com foco na sustentabilidade.

O comunicado adianta ainda que está prevista a realização de programas ambientais de longo prazo que incluem reflorestamento, preservação de espécies animais e desenvolvimento de bioconstrução recorrendo a práticas de permacultura e agricultura biológica.

“Estamos muito orgulhosos pela forma como o Boom foi acolhido pela comunidade. Hoje, Idanha-a-Nova integra a Rede de Cidades Criativas da UNESCO e queremos continuar a contribuir para que esta região seja cada vez mais visitada e que tenha uma oferta cultural de consciência sustentável que apoie o desenvolvimento da região e orgulhe a sua população”, conclui Artur Mendes.

A organização do Boom Festival junta assim 150 hectares aos 30 que tinha adquirido há dois anos, dando mais um passo no desenvolvimento de novos projetos.

A curto prazo, o objetivo passa pela promoção de atividades nos meses de primavera e verão, com eventos ligados ao bem-estar e ambiente, e abrir a propriedade a escolas e outras entidades externas.